Clique aqui para saber mais sobre a minha História
Dr. Alessandro Spíndola - Cirurgia Plástica
Dicas de Emagrecimento
Dicas de Beleza
Receitas Lights
Contato

Kelly Bertaco



31 anos/Casada/2 Filhos/São Paulo- SP

MEU VÍDEO: ASSISTAM

Emagrecimento


70 KG ELIMINADOS:

Com Reeducação Alimentar por  conta própria.

TEMPO: 1 ano e 6 meses.

Dados  do Antes e Depois:

Altura: 1.70

 INÍCIO 08/04         ATUAL

135kg                    ;65kg

Maneq. 58            40

Busto 120             92

Cintura 125          68

Quadril 140          99

Calçado 39          37



Conheça a minha História


Clique na foto

 


Veja meu Fotoblog


Clique na foto


Minha Comunidade no Orkut


PENSE MAGRO E EMAGREÇA

 



Me ADICIONEM!


  

kelbertaco@hotmail.com  



Selinhos que ganhei


UOL
Passe o mouse sobre as imagens para pausar


 Rakeu
  
Joana,Carla e Paula
 

 Patty e Rakeu

Blog de desafio da Jay
 

 
Desafio Dez/08
 
 






Matérias em Revistas


Clique na foto p ver a metéria
   


Revista Boa Forma Maio/09

Eu Consegui-Histórias de sucesso

Revista Boa Forma Dez/08 Desafio de verão
 


Revista Guia Anti Barriga Fev/09


Revista Pense Leve


Revista Women's Health


Clique na foto
 



Outras Matérias



Matérias:

CÂMERA RECORD- DIA 27/03 23:00HS
Gravação c Repórter Maicon Keller

YOGA SEMPRE-Blog da Cris da Boa Forma
Olha eu aí de cabeça p baixo. Clique na foto


A LOIRA DO QURTETO FANTÁSTICO
Blog da Cris da Boa Forma-


RECEITA MEU MOUSSE DE MORANGO. 
E MEU CARDÁPIO. Clique na Foto.


 GELATINA CONTROLA COMPULSÃO POR DOCES
Redação editora abril-  By Kelly -Clique na foto



Cirurgias Plásticas



- Abdominoplastia 

- Mamoplastia

- Prótese de silicone nos seios

   

Dr. Alessandro Spíndola

www.spindolacirurgiaplastica.com.br

Links




::Meu emagrecimento- Sara
::Beth a Conquista
::Rakeu
::Drika
::Exorcize sua alma gorda
::My emagrecimento
::Rosângela
::Dani Cinderela
::Andy
::Mey
::*Sô*
::Erica
::Mari- morando longe
::Julindinha
::Ana Giovana
::Vanuza
::Kecia
::Projeto Cica
::Michele
::Marcia
::Duda
::Juliana
::Lilian
::Rogéria
::Luciana -Vida Nova
::Karla
::Rosi
::Karina
::Monica
::Elaine
::Monica Carvalho
::Sarah
::Juliane
::Flávia
::Luciana Lu-para sempre magra
::Rafinha
::Débora
::Luciana-comportamento magro
::Claudia
::Suzana B.
::Tita
::Zana
::Kalanga
::Sil
::Penélope Charmosa
::Jam
::Adriana
::Gabi
::Rogeria
::Carol
::Alethea
::Li
::Sol- vOU FICAR MAGRA
::Juliene
::Dália
::Diva
::SOL - MEU EMAGRECIMENTO
::LA
::Iane
::Flávia
::Desafio de verão- Boa Forma
::Valéria
::Luka
::Cristina
::Escolha saudável
::Lucia- emagrecendo c Lu
::Paty Castro
::Giane
::JU
::Taci
::Fabíola
::Priscila
::Aline
::Fantinha
::Mari- no regime
::Clarice
::Renata
::Silmara
::Zizi
::Ana Carolina
::Luciana- rumo a vitória
::Josy
::Lucia-vecendo obstáculos
::Herly
::Lau
::Suzana
::Jay
::Somagui
::Mira
::andrea
::Eddi
::Adriana na Dieta
::Kamila
::Michele
::Lu Russa
::Luana
::SI
::Patty
::Débora
::Emanuelly
::Leila Diniz
::Floyde Siqueira
::Blog da revista Pense Leve
::Juliana Viruel
::Ivy
::karina
::Aline
::Rachel
::Erica
::Ana Maria
::Kris
::Bea
::Joana, Carla e Paula
::Juliana
::adriana
::Danny Mou
::Sandra
::Ana Maria
::Bea
::Marcos
::Valerie
::Juliana
::Luciana Kotaka
::Isa
::Kaká
::Elaine
::Angelica
::Raquel Messou
::Andreia
::Leandro Cardoso
::Renata
::In My Shoes
::Tita
::FABI
::Luna
::Bete Diet
::Dóca
::Dany -Minha Batalha
::Carol



Arquivos



18/08/2013 a 24/08/2013

23/09/2012 a 29/09/2012

22/01/2012 a 28/01/2012

30/10/2011 a 05/11/2011

23/10/2011 a 29/10/2011

16/10/2011 a 22/10/2011

28/08/2011 a 03/09/2011

14/08/2011 a 20/08/2011

17/07/2011 a 23/07/2011

26/06/2011 a 02/07/2011

12/06/2011 a 18/06/2011

29/05/2011 a 04/06/2011

22/05/2011 a 28/05/2011

27/03/2011 a 02/04/2011

20/03/2011 a 26/03/2011

06/03/2011 a 12/03/2011

27/02/2011 a 05/03/2011

23/01/2011 a 29/01/2011

02/01/2011 a 08/01/2011

26/12/2010 a 01/01/2011

19/12/2010 a 25/12/2010

05/12/2010 a 11/12/2010

21/11/2010 a 27/11/2010

14/11/2010 a 20/11/2010

07/11/2010 a 13/11/2010

10/10/2010 a 16/10/2010

03/10/2010 a 09/10/2010

19/09/2010 a 25/09/2010

12/09/2010 a 18/09/2010

22/08/2010 a 28/08/2010

08/08/2010 a 14/08/2010

01/08/2010 a 07/08/2010

25/07/2010 a 31/07/2010

27/06/2010 a 03/07/2010

20/06/2010 a 26/06/2010

13/06/2010 a 19/06/2010

06/06/2010 a 12/06/2010

30/05/2010 a 05/06/2010

23/05/2010 a 29/05/2010

16/05/2010 a 22/05/2010

09/05/2010 a 15/05/2010

02/05/2010 a 08/05/2010

25/04/2010 a 01/05/2010

18/04/2010 a 24/04/2010

11/04/2010 a 17/04/2010

04/04/2010 a 10/04/2010

28/03/2010 a 03/04/2010

14/03/2010 a 20/03/2010

07/03/2010 a 13/03/2010

28/02/2010 a 06/03/2010

21/02/2010 a 27/02/2010

24/01/2010 a 30/01/2010

17/01/2010 a 23/01/2010

10/01/2010 a 16/01/2010

27/12/2009 a 02/01/2010

13/12/2009 a 19/12/2009

29/11/2009 a 05/12/2009

15/11/2009 a 21/11/2009

18/10/2009 a 24/10/2009

11/10/2009 a 17/10/2009

04/10/2009 a 10/10/2009

27/09/2009 a 03/10/2009

20/09/2009 a 26/09/2009

13/09/2009 a 19/09/2009

30/08/2009 a 05/09/2009

23/08/2009 a 29/08/2009

16/08/2009 a 22/08/2009

09/08/2009 a 15/08/2009

02/08/2009 a 08/08/2009

26/07/2009 a 01/08/2009

19/07/2009 a 25/07/2009

05/07/2009 a 11/07/2009

28/06/2009 a 04/07/2009

21/06/2009 a 27/06/2009

14/06/2009 a 20/06/2009

07/06/2009 a 13/06/2009

31/05/2009 a 06/06/2009

24/05/2009 a 30/05/2009

17/05/2009 a 23/05/2009

10/05/2009 a 16/05/2009

03/05/2009 a 09/05/2009

26/04/2009 a 02/05/2009

19/04/2009 a 25/04/2009

12/04/2009 a 18/04/2009

05/04/2009 a 11/04/2009

29/03/2009 a 04/04/2009

22/03/2009 a 28/03/2009

15/03/2009 a 21/03/2009

08/03/2009 a 14/03/2009

01/03/2009 a 07/03/2009

22/02/2009 a 28/02/2009

15/02/2009 a 21/02/2009

08/02/2009 a 14/02/2009

01/02/2009 a 07/02/2009

25/01/2009 a 31/01/2009

18/01/2009 a 24/01/2009

11/01/2009 a 17/01/2009

04/01/2009 a 10/01/2009

28/12/2008 a 03/01/2009

21/12/2008 a 27/12/2008

14/12/2008 a 20/12/2008

07/12/2008 a 13/12/2008

30/11/2008 a 06/12/2008

23/11/2008 a 29/11/2008

16/11/2008 a 22/11/2008

09/11/2008 a 15/11/2008

02/11/2008 a 08/11/2008

26/10/2008 a 01/11/2008

19/10/2008 a 25/10/2008

12/10/2008 a 18/10/2008

05/10/2008 a 11/10/2008

28/09/2008 a 04/10/2008

21/09/2008 a 27/09/2008

14/09/2008 a 20/09/2008

07/09/2008 a 13/09/2008

31/08/2008 a 06/09/2008



Vote e Indique


Indique esse Blog

Dê uma nota para meu blog


Contador de Visitas


Você é o visitante número:




visitantes online



Créditos


Layout by
AB-Designs

Encomende o Seu também!

Exclusivo para o Blog Dietas & Beleza



Fatores Psicológicos do Excesso de Peso

A PARTIR DE HOJE IREI POSTAR UMA SEQUÊNCIA DE POSTS, SOBRE FATORES PSICOLÓGICO X OBESIDADE...

POIS CREIO QUE O EMOCIONAL É UMA DAS PRINCIPAIS CAUSAS DA OBESIDADE. ESPERO QUE VOCÊS GOSTEM DOS PRÓXIMOS POSTS, POIS ESCREVO,PESQUISO CADA POST COM MUITO CARINHO!

NÃO ESQUEÇA DE DEIXAR SEU COMENTÁRIO, SE GOSTOU OU SOBRE O QUE GOSTARIA DE SABER.

BEIJOS E OBRIGADA!!!

Fatores Psicológicos do Excesso de Peso

Resumo

Este artigo tem o objetivo de discutir sobre os aspectos psicológicos presentes na pessoa com excesso de peso, mostrando a relação entre o excesso de peso e os distúrbios emocionais, apresentando alguns estudos sobre a influência dos mecanismos para regular a ingestão do alimento: fome e apetite, da ansiedade, dos distúrbios, da imagem corporal e da sexualidade na dinâmica do excesso de peso, propondo a abordagem psicodinâmica para o atendimento psicológico do excesso e peso.

Introdução

Um dos problemas de saúde pública mais importante e preocupante deste novo século é o excesso de peso, devido ao seu crescente aumento e suas enormes conseqüências. Diante disto é fundamental que os profissionais da área da saúde estejam preparados, identificando os principais aspectos que se apresentam, atuando de maneira positiva em direção o melhor estilo de vida.

Podemos dizer que o excesso de peso é o acúmulo exagerado de gordura no tecido subcutâneo. De acordo com Mancini (2001) embora a diferença entre a normalidade e o excesso de peso seja arbitrário, é prudente considerar como medida o quanto à saúde física e psicológica são afetadas e a expectativa de vida é reduzida em função do aumento do peso. Os últimos estudos dão ênfase às implicações fisiológicas, psicológicas e sociais relacionadas ao excesso de peso.

Segundo Monteiro et al (1995) os estudos epidemiológicos nos mostram que em 1974, já havia uma proporção de 1,5 desnutridos para uma pessoa com excesso de peso na população adulta brasileira. Em 1999, a proporção de pessoas com excesso de peso dobrou em comparação a desnutrição.

No Mundo não é diferente segundo o Relatório do Instituto Worldwatch intitulado Underfed and Overfed: the Global Epidemic of Malnutrition que considerou estatísticas colhidas pela OMS e outros órgãos da ONU, pela primeira vez, o número de pessoas com excesso de peso se apresenta igual ou maior do que os desnutridos. Conforme dados coletados pela Pesquisa Nacional sobre Saúde e Nutrição / IBGE, pelo Monego (1996) cerca de 32% de adultos brasileiros apresentam algum grau de excesso de peso, o problema é grave em todas as faixas de renda e em todas as regiões, sendo a situação mais crítica na região Sul do país.

É importante salientar que a preocupação com esta doença tem a ver com as co-morbidades que estão a ela relacionadas. As pessoas com excesso de peso apresentam um grau de morbidade e mortalidade muito maior que os de outros grupos, principalmente no que diz respeito às doenças cardiovasculares e a diabetes millitus segundo Halpern (1987) e Mancini (2001).

Do ponto de vista socioeconômico Seidell (1998) relata que tais condições interferem na produtividade da pessoa, além de gastos indiretos nos setores da saúde. Já em relação aos distúrbios emocionais e excesso de peso existem idéias divergentes nas investigações.

Mustagoki em 1987 questiona e contesta esta relação argumentando que os estudos feitos sobre o assunto são realizados a partir de sujeitos que estão em tratamento ou que passam por consultas psiquiátricas. Quando os pacientes de outras especialidades da medicina e da área nutricional são estudados, os resultados se modificam.

No artigo de psicopatologia e obesidade Wadden e Stukard (1987) compartilham com estes argumentos, eles demonstram que os primeiros estudos psiquiátricos reforçavam a percepção popular de que as psicopatologias eram comuns entre os obesos e que tinham um lugar importante no desenvolvimento da obesidade. Contudo, as investigações mais recentes vêm demonstrando que os distúrbios psicológicos são mais freqüentemente ligados às conseqüências da obesidade do que às causas. Ressaltam que as dificuldades emocionais estão mais ligadas a obstáculos culturais e a preocupação constante com o emagrecimento.

Os autores acrescentam que muitas pessoas com excesso de peso podem experimentar dificuldades emocionais que não são mensuradas por testes psicológicos. Tais dificuldades normalmente estão relacionadas com questões específicas tais como frustrações pelo excesso de peso ou solidão, devido ao abandono de amigos por não entenderem o seu problema. Estas dificuldades podem acarretar alguns distúrbios emocionais.

Segundo relato de Camillot (1997) indivíduos com excesso de peso, em função de sua conduta impulsiva frente à comida, apresentam diferentes maneiras de fazer contato com a realidade devido às dificuldades de obter insight reais e mecanismos de defesa especiais, e por isto, podem ser incluídos dentro das “psicopatias”.

Kathalian (1992) salienta que quando já está estabelecida a obesidade, o indivíduo passa a viver em função das dificuldades que o excesso de peso traz. É exatamente neste momento que uma série de aspectos ligados à gordura passam a incomodar: A pessoa tem dificuldades de executar o ato sexual, limitações em atividades na praia, esportes e atividades sociais, vergonha, sentimento de inferioridade, dificuldade de comunicação e muitos outros.

O excesso de peso passa a ser visto como um aleijão, algo que se tem de carregar para o resto da vida, foco de toda angústia e dificuldades existenciais. Cabe salientar que essa somatização para muitos, traz tranqüilidade e paz, desloca toda e qualquer dificuldade emocional e canaliza para a necessidade de controlar o peso.

Acrescenta Boyd (1989) que o excesso de peso é uma razão socialmente reforçada para a infelicidade e depressão. Segundo ele é mais fácil atribuir sentimentos de frustração, raiva e inutilidade para a pessoa com excesso de peso do que aceitar as verdadeiras origens dos seus problemas. Ressalta ainda os efeitos psicodinâmicos do excesso de peso como, por exemplo, auto-estima muito baixa, ocorre pelo fato de não ter um físico aceito socialmente.

Kahtalian declara (1992) que na década de 30 a obesidade era incluída somente dentro dos “distúrbios das glândulas endócrinas”, e foi a partir das décadas de 40 e 50, que a aproximação com a questão psicológica começou a receber maior ênfase, e mais recentemente é que os fatores emocionais começaram a ter importância para os profissionais que lidam com o excesso de peso.

Quando se fala em fatores psicológicos, as pesquisas se voltam para a influência da cultura, ambiente, história familiar, estrutura de personalidade e o inconsciente das pessoas com excesso de peso. A maioria destes estudos também contribui para o entendimento dos fatores de personalidade que podem conduzir ou manter o excesso de peso. No entanto, o exato mecanismo pelo qual alguns destes fatores contribuem para o excesso de peso, ainda não foi claramente explicado.

A valorização dos fatores psicológicos no tratamento em nossos dias, tem tido cada vez maior reconhecimento. A cada dia mais pessoas buscam tratamento, não somente de dieta e atividade física, mas também psicológica. É importante salientar que tal procura pode variar desde uma psicoterapia tradicional a um aconselhamento, ou uma psicoterapia breve.

Camillot et al (1977) já dividia os fatores desencadeantes da obesidade em 3 grupos: fisiológicos, psicológicos e sociais. Dentro dos fatores psicológicos os teóricos salientam alguns eventos tais como: o nascimento de irmãos, separação de pais, o início da escola, a adolescência, serviço militar, o casamento. Os autores relatam que em relação a casamento é muito comum ocorrer em mulheres e tem relação com suas atividades estereotipadas frente a sexualidades e a vida em comum.

Além dos fatores somáticos e psicológicos, Kaplan e Kaplan (1957) ainda incluem, entre as causas do excesso de peso, os mecanismos reguladores da alimentação, ou seja, a fome e o apetite.

A fome é entendida como o desejo de comer, despertado por sensações fisiológicas; já o apetite tem sido descrito como o desejo de comer, que envolve a lembrança da sensação agradável de se estar satisfeito. Ele é despertado pela aparência do alimento, seu cheiro, seu sabor e é a maior força psíquica na regulação da ingestão do alimento no homem.

Fica claro que, fome e apetite influenciam diretamente na qualidade da comida a ser ingerida. Desta forma, uma pessoa com fome pode comer até se sentir satisfeita, mas o apetite pode induzi-la a comer mais, o que leva muitos teóricos a concordarem que o indivíduo com excesso de peso tem um distúrbio relacionado não com a fome, mas com o apetite.

Kahtalin (1992) relata que a fome, chamada biológica, é desagradável, dolorosa, desprazerosa e só acaba por meio da comida. Mas o apetite busca o prazer, a satisfação libidinosa e não tem compromisso com reservas calóricas. Na fome o corpo pede comida, mas no apetite a mente é quem pede.

Outra questão ligada à regulação da fome e a sociedade, é que segundo Anjos (1983) o obeso apresenta uma redução da sensibilidade para os sinais reguladores de “parada”. Não se sabe ao certo porque isto ocorre, mas com certeza não tem base científica, contudo não cabe achar que a pessoa com excesso de peso come muito porque “não tem vergonha”. Tal afirmativa não tem dado científico.

 

1- Excesso de Peso e Ansiedade

Segundo Spileber (1981) a ansiedade é um fenômeno de natureza emocional, que se manifesta como estado psicológico, ou seja, uma condição transitória que varia de intensidade e depende das formas de reação. Estas reações envolvem manifestações subjetivas e sinais fisiológicos relacionados com alterações da taxa respiratória e da pressão arterial, manifestando-se dentre outras formas, pela postura do corpo, os tipos de respostas ao stress, a maneira de executar certas tarefas. Para o autor a ansiedade também pode ser percebida como traço de personalidade, sendo consideradas umas tendências básicas da pessoa, que pode levá-la a estabelecer formas bem definidas de defesa.

Cabe salientar que há uma interação dinâmica entre estado e traço de ansiedade, ou seja, a ansiedade que se manifesta “agora” e que se caracteriza como o estado, pode assumir proporções que levam a pessoa a uma ansiedade crônica, passando a ser um traço.

A ansiedade é um dos problemas enfrentados pelas pessoas com excesso de peso. Segundo Stuart & Jacobson (1990) e a Sociedade Brasileira de Psiquiatria Clínica (1993) afirma que a pessoa pode aprender a comer, em resposta a ansiedade uma vez que a comida a diminui.

Alguns teóricos consideram a ansiedade como conseqüência da redução alimentar que enfrenta o indivíduo com excesso de peso em processo de emagrecimento. Abranson &Wunderlick (1972) com o objetivo de testar a hipótese de que o indivíduo com excesso de peso come para aliviar a ansiedade, elaboraram uma pesquisa com 33 sujeitos obesos e 33 de peso normal, do sexo masculino. Eles testaram o consumo de alimento, através da quantidade de bolachas consumidas durante 15 minutos. Enquanto as sujeitos esperavam, os pesquisadores deixaram um saco de bolachas na sala e anunciaram a possibilidade de um experimento à base de eletrochoque (usado como estímulo para ativar o medo).

Os resultados sugeriram que os sujeitos obesos foram mais reativos à ansiedade provocada pelo estímulo do que os sujeitos “normais”, embora a diferença de consumo alimentar não tenha sido significativa entre os dois grupos. Apesar desta atitude demonstrar que os obesos tendem a ter mais ansiedade, apresenta dúvidas em relação à proposição de que a comida representa um método de controle da ansiedade, pois se tratou de uma situação ameaçadora, onde não é possível generalizar este comportamento como um traço específico do obeso.

Santos realizou uma pesquisa em 1990 com o objetivo de verificar a ansiedade em 285 sujeitos obesos, de ambos os sexos, usando como metodologia o Inventário de Avaliação de Ansiedade Traço-Estado (IDATE), constatou que as mulheres tinham a ansiedade aumentada em relação aos homens. Considera que a ansiedade é uma característica da pessoa obesa, sendo acentuada pela redução da ingestão alimentar, atribuindo a isto a dificuldade em seguir uma dieta.

Stunkard (1987) declara que isto ocorre em relação a outros distúrbios, e demonstra um estudo que realizou no qual verificou que mais da metade dos sujeitos que estavam em dieta hipocalórica tinham experienciado depressão, tensão, fraqueza e/ou irritabilidade. Continuando em outras pesquisas pode identificar a presença de depressão e de outras reações emocionais a regimes para redução de peso.

Salienta Stunkard (1974) que estas reações desencadeadas pela dieta são influenciadas também por fatores tais como: pessoas cujo problema de obesidade iniciaram na infância; restrições severas de calorias que podem produzir mais reações emocionais; o uso de medicação.


Escrito por kelbertaco às 12h25 [ ] [ envie esta mensagem ]



Saudades do meu cantinho...vim deixar uma dieta...bjs!!!

DIETA DETOX - ELIMINA ATÉ 2 QUILOS EM UM DIA

O grande problema das dietas é o fator humano (como diz um amigo meu, você não vê zebras acima do peso). Pessoas que precisam emagrecer precisam levar seu organismo e sua saúde em consideração para só então fazer algo a respeito. Nutricionistas sérios recomendam antes de qualquer dieta restritiva uma programa de desintoxicação.

Parece uma palavra forte, mas o corpo que precisa secar quilos está saturado de toxinas e impurezas que impedem a queima eficiente de energia. Existem os programas específicos para cada pessoa, mas uma nutricionista americana desenvolveu uma “dieta detox” à base de líquidos. Rapidamente espalhada pelo mundo, veio ao Brasil e recebeu uma bem vinda adaptação com ingredientes facilmente encontrados por aqui.

A “dieta detox” (detox é uma redução americana da enorme palavra desintoxicação) precisa de alguns cuidados: só pode ser feita por pessoas saudáveis e de quinze em quinze dias. Não deve ser feita por crianças, idosos, gestantes, diabéticos e pessoas com problemas estomacais e renais. Comece a dieta logo ao acordar; abaixo as receitas dos sucos.

 

Suco de limão: num copo de água adicione uma colher de sopa de limão.
Suco detox: 200 ml de suco de uva integral, 200 ml de suco de abacaxi, 7 copos de água, meia colher de cha de gengibre ralado, meio copo de suco de laranja, meia colher de chá de canela e uma pitada de cravo-da-índia. Bata tudo.

Tome um copo de suco por hora. Comece com o suco de limão; uma hora depois tome o suco detox e siga esta ordem até o final do dia. Por exemplo: às 7 horas, suco de limão; às 8 horas, suco detox; às 9 horas, suco de limão e assim sucessivamente.

Como vimos no texto anterior, a desintoxicação do organismo é parte fundamental do sucesso de uma dieta. Quando limpamos o corpo das impurezas automaticamente eliminamos o peso extra delas. Entenda melhor porque a dieta detox é capaz de secar até 2,25 quilos em um dia.

O limão deixa o sangue alcalino. Ambientes alcalinos eliminam ácidos, como as toxinas que acumulamos. Além disso, o fruto é rico em potássio, que ajuda e retirar o excesso de sódio (sal) do organismo. Como se sabe, o sal faz com que o corpo acumule líquido, por isso a dieta detox elimina o innchaço causado pelos líquidos e toxinas.

A combinação das frutas e especiarias fornecem uma boa quantidade de vitaminas e minerais essenciais ao organismo, equilibrando o funcionamento dos órgãos. Os sucos detox fortalecem o organismo.

As especiarias do suco detox – canela, cravo e gengibre – tem o que os nutricionistas chamam de ação termogênica. Traduzindo: elas aumentam a temperatura interna do corpo, fazendo com que o corpo queime mais gordura e calorias. Queimando energia excedente, perde-se peso.

Uma substância presente na uva e em frutas roxas, chamada antocianina, foi alvo de uma extensa pesquisa em uma universidade japonesa. Os estudiosos comprovaram a eficácia desta substância no combate à obesidade, pois ela dificulta o acúmulo de gordura nas células adiposas. O poder antioxidante dela também ajuda a sumir com a barriga.

Além de todos estes benefícios, o limão auxilia na produção da bílis, que é produzida no fígado e digere gorduras. A digestão fica bem mais fácil.

Mas atenção: disciplina sempre! Não adianta se desintoxicar em um dia e no dia seguinte se entupir de coxinhas e chocolates. Mantenha uma dieta saudável e atividades físicas regulares.


Escrito por kelbertaco às 16h08 [ ] [ envie esta mensagem ]




[ ver mensagens anteriores ]